Vida de professor da rede pública

Súplica Cearense

sábado, 7 de março de 2009

VERBOS-CHAVES

PRODUÇÃO DE TEXTOS PARA QUESTÕES DISCURSIVAS DE HISTÓRIA: INTERPRETAÇÃO E COMANDOS DOS VERBOS-CHAVE.
Na resolução de questões discursivas é fundamental que a construção do texto se dê atendendo
estritamente ao conjunto de informações requisitadas no enunciado – o problema – e de acordo com o verbo-chave – o comando – que define qual é o tipo de resposta que a banca examinadora espera do candidato.
É muito comum nas provas discursivas de História que os candidatos não respeitem as abrangências de cada questão em particular e construam suas respostas desrespeitando àquilo que lhe é requisitado por ela. Tanto informações limitadas quanto em excesso podem prejudicar o candidato. Assim, o vestibulando deve fornecer a maior quantidade de informação possível dentro do limite imposto pela questão.
Explicar - tornar claro, expor, explanar, desenvolver.
QUESTÃO: (UFMG) Explique qual era a formulação cultural que mantinha o trabalho servil tão estável na Idade Média.
CONSTRUÇÃO DA RESPOSTA: para construirmos a resposta o primeiro passo é grifar o comando da questão. Após identifica-lo temos de perceber que problema a questão nos pede para resolver. Isso é um trabalho ora simples, ora complicado. Neste exemplo, o problema não está nítido, mas, interpretando o texto, com o auxílio de seus conhecimentos históricos, é possível verificar que o problema é resolver por que razão cultural os servos não se revoltaram contra o trabalho servil imposto pelos senhores feudais na Idade Média? Percebam que a questão define que recorte temático o candidato terá de enfocar dentro da matéria estudada. Assim não cabe ao vestibulando falar sobre qualquer coisa referente à Idade Média, fugir ao recorte temático, ao problema, mesmo dando informações a mais, é prejudicial ao aluno. Este deve demonstrar o maior conhecimento possível dentro das limitações impostas pela questão. Quando já sabemos qual é o comando e qual é o recorte, podemos iniciar a montagem da questão. O verbo explicar exige um aprofundamento muito grande e detalhado do recorte temático e, não é possível explicar algo sem explicar as origens. Assim, sempre que o comando for explicar a questão deverá seguir o seguinte molde:
1° PARÁGRAFO – APRESENTAR O CONTEXTO HISTÓRICO;
2° PARÁGRAFO – RESOLVER e/ou DISCUTIR O PROBLEMA QUE A QUESTÃO IMPÕE;
3° PARÁGRAFO – CONCLUIR APRESENTANDO AS CONSEQÜÊNCIAS E REPERCUSSÕES.


Relacionar – pode aparecer em comandos com sentidos diferentes:
1° sentido – fazer relação, alistar, relatar, referir.
QUESTÃO: (UFES - adaptada) Relacione três conseqüências da Segunda Guerra Mundial.
CONSTRUÇÃO DA RESPOSTA: diferentemente do comando explicar, o relacionar nesse sentido
pretende tão somente que o candidato faça uma relação simples de fatores correspondentes algum período ou evento histórico. Nesse caso não é necessário por parte do candidato uma explicação detalhada que vá desde o contexto histórico até as conseqüências finais. Uma lista simples de conseqüências e um breve comentário explicativo sobre cada uma delas é o suficiente para o sucesso nesse tipo de questão.
2° sentido – estabelecer a relação, correlacionar. Estabelecer os pontos de semelhança e/ou evidenciar relações mútuas entre processos aparentemente distintos.
QUESTÂO: (EB-VEST) Relacione a crise de 1929 com o endurecimento da política externa norte-americana e com a eclosão de governos populistas na América Latina.
CONSTRUÇÃO DA RESPOSTA: obviamente, o primeiro passo de todas as resoluções é o mesmo: identificar o comando, por conseguinte o contexto e destrinchar o problema. O recorte temático dessa questão é bem abrangente pois, dentro da História Contemporânea, vários fenômenos podem ser abordados segundo ele. Além disso como é uma questão que envolve História Geral, do Brasil e da América, todo cuidado é pouco na hora de selecionar as prioridades para a resolução do problema. A chave para a resolução desse tipo de questão está nos elos de ligação dos mais distintos fenômenos. Acompanhe o gráfico abaixo:




O segundo quadro está incompleto. O certo é Endurecimento da política externa norte-americana.
As setas do gráfico indicam justamente a relação existente entre os fenomenos que, a vista de um desatento poderiam não ter ligação alguma. Os elos de ligação, no gráfico representados pelas setas, são exatamente o núcleo da resolução do problema quando o comando relacionar vem com este sentido. Então a resolução desse exemplo deve começar por uma explicação do que foi a crise de 1929, a partir daí o candidato deve apresentar suas consequencias que sirvam como elos de ligação para os dados requisitados no enunciado da questão, dando a enteder como acontecem as interferências mútuas.
Analisar – examinar cada parte de um todo para conhecer a natureza.
QUESTÃO: (EB-VEST) Analise a forma e o conteúdo da Revolução Nacionalista Chinesa.
CONSTRUÇÃO DA RESPOSTA: após identificar o comando, o problema aparece nitidamente, o que torna a interpretação dessa questão simples. Quando o comando é analisar normalmente não são especificados quantos assuntos devem ser abordados. Como a idéia do comando é ir da parte para o todo, fica claro que esse é o tipo de questão na qual o candidato pode, e deve, abranger o maior número de informações possíveis, pois o tema é aberto. Sobressai-se nesta questão aquele que mais informações puder agregar à resposta. Então vejamos uma possível resposta:
“A revolução tem suas bases no final da década de 1910 com o movimento de 4 de maio promovido pelos estudantes. Após este movimento a URSS estabeleceu alianças com o governo para ajuda-lo a promover uma campanha contra os chefes provinciais que eram um obstáculo para a construção do Estado nacional. Contudo no novo governo o partido comunista foi colocado na ilegalidade e seus membros refugiaram-se no campo. Sob a liderança de Mao Tsé-Tung foi organizado o exército vermelho. Para fugir da repressão organizaram a Grande Marcha.
Em 1931, os japoneses invadiram a China e ocuparam a Manchúria, os comunistas se uniram ao
governo para lutarem contra os inimigos. Após a 2ª Guerra retomaram a divisão política.
Devido a problemas internos que instabilizaram a política do governo, os comunistas organizaram o Exército de Libertação Nacional (ELP) e conclamaram a população a derrubar o governo. Em 1949 os comunistas proclamaram a República Popular da China (restavam apenas Formosa e Taiwan sob proteção dos EE.UU.).
O governo comunista de Mao adotou medidas drásticas como a nacionalização de indústrias e a
reforma agrária. Aboliu os privilégios feudais e tornou a educação obrigatória. A coletivização da
agricultura acelerou-se com a organização de cooperativas. O combate ao imperialismo norte-americano foi grande.
Atingia-se assim, o fim do capitalismo, implantando as três transformações socialistas básicas:
expropriação da burguesia industrial, expropriação do comércio urbano e a instalação de um movimento cooperativo no campo.Em 1958 Mao Tsé-Tung lançou o projeto “grande salto para frente”. O objetivo era queimar etapas na construção do socialismo, formar um parque industrial diversificado.Em 1961 os projetos de industrialização entraram em colapso e devido a atritos com a URSS a situação se agravou. Em 1966, teve início na China a Revolução Cultural, Mao Tsé-Tung, diante da perda do controle sobre o PC, estimulou jovens e o exército contra seus adversários internos. A Revolução Cultural foi ao mesmo tempo um de transformação ideológica e uma violenta depuração partidária (nacionalismo). Após a morte de Mao Tsé-Tung, o governo que assumiu realizou importantes reformas com o objetivo de introduzir uma economia de mercado. A produção industrial começou a crescer, as empresas estrangeiras passaram a investir no país e as exportações cresceram. Foi eliminado o monopólio estatal da propriedade e dos meios de produção e anunciaram um programa de privatizações. Essa política estimulou a
defesa dos direitos democráticos que levasse o fim do monopólio do poder pelo PC.”
Para deixar a resposta ainda mais de acordo com os anseios do comando da questão, o candidato pode complementar com assuntos da atualidade ou da história recente que tenham relação direta com o problema discutido na questão. Neste caso, poderia ser lembrada a contradição entre política e economia na China atual:
“Na China a liberação econômica não foi acompanhada pela liberalização política. Em 1989
aconteceu uma grande manifestação de oposição onde estudantes ocuparam a praça da Paz Celestial em Pequim, protestando contra a corrupção e pedindo democracia. O Exército abriu fogo, assassinando de duas a três mil pessoas.”
Identificar – determinar a origem, o tempo/espaço, as características de.
QUESTÃO: (UFES) Identifique dois fatores que possibilitaram a superação prática da linha de Tordesilhas nos séculos XVII e XVIII.
CONSTRUÇÃO DA RESPOSTA: quando o comando é identificar, temos necessariamente de introduzir a questão com uma definição do tempo/espaço, ou seja, do contexto histórico. A partir de então, temos que fazer breves explanações sobre o problema indicado no enunciado. Para identificar algo é de fundamental importância que coloque as principais características do objeto. Mas cuidado se a questão lhe colocar com precisão quantos fatores ela quer, selecione os mais importantes, sempre em ordem decrescente.
ANEXOS:
1. QUESTÕES COM COLETÂNEA DE INFORMAÇÕES:
Algumas questões trazem textos de historiadores ou fontes de época sobre assuntos ligados diretamente ao problema que estará posto no enunciado. Nesse caso o candidato deve ter muita
atenção e ler com espírito critico a coletânea de informações pois normalmente é nela que se vai
desvendar o problema a ser solucionado. Além disso quanto existe uma coletânea a resposta tem
de estar coerente não só com o comando em si, mas com a relação entre o comando e a coletânea.
(USP) No ano de 415 a.C., Alcebíades, um general de Atenas, assim defendeu suas qualificações para comandar uma esquadra contra os espartanos:
“Mas que qualquer outro ateniense, cabe-me receber o comando. Os Helenos, que consideravam a nossa cidade esgotada pela guerra, passaram a fazer uma idéia de sua grandeza muito além de seu poder, diante do meu desempenho nos Jogos Olímpicos, pois entraram na pista hípica sete carros meus (...) e ganhei o primeiro, o segundo e o quarto prêmios, além de ter-me apresentado em tudo mais num estilo digno de minhas vitórias...”
[adaptado de Túcidicles. História da Guerra do Peloponeso – 6. 16. 1-2, Brasília: UnB, 1982, p. 296.]
a) Explique o que foi a Guerra do Peloponeso.
b) O que os Jogos Olímpicos eram para os gregos da Antiguidade? Por que era importante para as Cidades-Estados gregas vencer os Jogos?
(EB-VEST)
a) De acordo com o documento acima, interprete a concepção de governo e de Estado da nobreza que governava os países da Europa Ocidental na época moderna.
b) Jacques Bousset, cardeal e orador da corte de Louis XIV, escreveu A Política segundo as Sagradas Escrituras para justificar o poder absolutista do imperador. Qual era sua principal tese nesta obra? Qual a importância deste tipo de trabalho na sustentação do poder real?
“(...) é exclusivamente em minha pessoa que reside o poder soberano (...) é só de mim que os
Tribunais recebem sua autoridade (...) que a exercem senão em meu nome (...) é a mim unicamente que pertence o poder legislativo sem dependência e sem partilha...”.
[Louis XIV, rei de França, 1666].

Um comentário:

Marly disse...

Maravilhosooooo!!! Adorei!!!